Em parceria com indústrias, Governo lança campanha RN+Protegido para fornecer máscaras à população - Salomão Medeiros
Governo do RN

sexta-feira, 17 de abril de 2020

Em parceria com indústrias, Governo lança campanha RN+Protegido para fornecer máscaras à população

O Governo do Estado lançou hoje o programa RN+Protegido, que será criado em decreto assinado pela governadora Fátima Bezerra para distribuir máscaras de tecido para a população potiguar e ampliar sua proteção frente à pandemia de coronavírus. 

A campanha foi anunciada durante coletiva de imprensa na Escola de Governo nesta sexta-feira (17), com a participação de representantes do setor produtivo parceiros da ação. 

Na ocasião, foram entregues as primeiras 100 mil máscaras doadas pela indústria têxtil Guararapes; outras 100 mil estão sendo finalizadas, totalizando as 200 mil unidades que dão início à campanha.

A governadora Fátima Bezerra participou de todas as tratativas para a efetivação da campanha que considera “Muito importante, de colaboração do setor privado com o Estado, beneficiando trabalhadores que estão na linha de frente nesse período de pandemia e também a população em geral”. 
O secretário do Desenvolvimento Econômico Jaime Calado destacou que “Foram muitas mãos para construir esse programa”, pois coordenou a formulação da campanha em consonância à proposição do deputado estadual Francisco Medeiros. 

“Além destas 200 mil máscaras que estarão sendo distribuídas hoje, o Sinduscon, o Sindicato da Indústria da Construção Civil, está fazendo uma doação de 2,2 milhões de unidades de máscaras; a Coteminas está doando material para serem confeccionadas 500 mil máscaras; a Nortex está doando material para 120 mil máscaras; e nós agradecemos em nome deles e muitos outros que estão fazendo essa corrente de solidariedade”, informou o secretário. 

Além das doações, o programa prevê a aquisição de novas máscaras pelo Governo do Estado. A equipe do projeto Governo Cidadão está em tratativa com o Banco Mundial, com perspectiva de financiamento para aproximadamente 3 milhões de itens. As máscaras serão produzidas pelas oficinas de costura do programa Pró-Sertão, coordenadas pela indústria-âncora Guararapes. O diretor executivo da empresa, Jaime Amorim, falou sobre a importância da ação para garantir a renda dos trabalhadores das 78 oficinas que estão sendo reativadas no interior do Estado, e ressaltou ainda os cuidados sanitários que estão sendo empregados na ação. 

O diretor executivo informou também que todo o dinheiro investido pelo Governo do Estado na obtenção das máscaras será utilizado para pagar o salário das costureiras, e que a Guararapes irá subsidiar o material, os insumos e a logística da produção. 

“Para se ter uma ideia, em 3 milhões de peças são usadas 45 toneladas de tecido, o que equivale ao custo de pouco mais de R$ 1,2 milhão”, explicou. “O grupo está envolvido neste esforço humanitário, em solidariedade não só ao Governo do Estado, mas principalmente à população que mais precisa”. 

Para a distribuição das máscaras, foi criado um comitê formado pela Controladoria Geral do Estado (Control) e as secretarias de Estado do Desenvolvimento Econômico (Sedec) e do Trabalho, da Habitação e da Ação Social (Sethas). O objetivo é articular a entrega para a população a partir dos setores prioritários, com apoio das secretarias, órgãos e entidades públicas, unidades de saúdes, instituições, organizações da sociedade civil e entidades classistas realizando as entregas ao seu público alvo. 

As primeiras 100 mil unidades serão distribuídas pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (20 mil); pela Secretaria de Estado da Segurança Pública: polícias Civil e Militar, Itep-RN e Corpo de Bombeiros Militar (20 mil); Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (6 mil); Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Ação Social: servidores, distribuição nos Restaurantes Populares, Programa do Leite, trabalhadores que atuam no SUAS (12 mil); Programa RN + UNIDO (4 mil); Sindicatos (15 mil); Associação dos Supermercados do RN (15 mil); Ceasa e Cecafes (3 mil) e Feiras livres (6 mil). 

O vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Asseio, Conservação, Higienização e Limpeza Urbana (SindLimp), Wilson Duarte, agradeceu em nome da categoria pela entrega dos itens. “Os trabalhadores da limpeza estão na linha de frente tanto quanto os profissionais da saúde, então é uma forma de a gente minimizar os riscos que estes trabalhadores estão correndo”, disse. 

Também estão sendo firmadas parcerias com a sociedade civil organizada, a exemplo de entidades religiosas, organizações comunitárias e assistenciais, dentre outras, para distribuir as máscaras para a população. Além disso, o Governo irá destinar até 40% da produção aos municípios do Rio Grande do Norte por meio de orientação das suas secretarias de Assistência Social e de Saúde Pública. 

Também foi disponibilizado um endereço de e-mail (rnmaisprotegido@gmail.com) para onde deverão ser direcionados pedidos de órgãos e entidades interessadas. Dúvidas poderão ser esclarecidas pela Central de Atendimento (84) 3190-0700, opção 3 (três). 

MÁSCARAS DE TECIDO:  As máscaras distribuídas pelo RN + Produtivo serão fabricadas em tecido. O objetivo é dar maior agilidade na produção e obter melhor aproveitamento de materiais disponíveis no mercado que podem ser destinados à população em geral. Com isso, o Estado garante que outras máscaras, homologadas pela Anvisa (Cirúrgicas e N95), cheguem aos médicos e enfermeiros, expostos a uma carga viral bem maior, e ao mesmo tempo fornece uma opção viável para a população. 

Segundo Jaime Calado, que também é médico sanitarista, “o importante é que a máscara cubra a região da boca e do nariz, sem deixar espaços nas laterais, e seja dupla, para impedir com eficiência a penetração do vírus”. O secretário ainda lembrou que as máscaras de tecido podem ser higienizadas e reaproveitadas pelos usuários.Foto:Elisa Elsie

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deste blog estão sujeitos a moderação e não serão publicados: comentário com ofensa pessoal, racismo, bullying ou desrespeito a opinião dos outros e/ou ofensas a outros comentários,e não representam a opinião deste blog.

publicidade