Tom Welling diz que recusaria convite para viver Super-Homem novamente - Salomão Medeiros

TCM Internet e TV

publicidade

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Tom Welling diz que recusaria convite para viver Super-Homem novamente

Tom Welling, o Clark Kent de "Smallville" participou do painel em homenagem aos 80 anos do Super-Homem durante a Comic Con XP nesta sexta-feira (7). O ator relembrou alguns episódios da série e disse não ter ficado chateado com a "substituição" do Super-Homem nos cinemas, interpretado por Henry Cavill.

Ele também afirmou que não voltaria a viver o personagem mesmo se fosse convidado." As pessoas já me pediram isso. Mas o Clark de Smallville funciona só naquele mundo", afirmou o ator, que hoje é conhecido por interpretar o tenente Marcus Pierce na serie "Lúcifer".
Durante o painel, o ator também comentou a cena que fez com Christopher Reeve, o primeiro Super-Homem. O ator ficou tetraplégico em 1995, após sofrer um acidente a cavalo, e fez uma participação na série, como Dr. Swan, que é lembrada até hoje como uma "passagem de bastão". "Foi uma experiência incrível, ele é um ator excepcional. Mesmo em uma cadeira de rodas, ele passava toda essa emoção."

Ele disse que o ator chegou a parabenizá-lo quando foi anunciado o lançamento do filme do "Super-Homem". "Ele me disse que ficou muito feliz por ter me passado o bastão. Quando eu falei que tinham escolhido outro cara pra ir pro cinema ele disse que deveriam ter me escolhido", relembra. 

Sobre a série, Welling diz que se sentiu fazendo muitas coisas pela primeira vez. Com a tecnologia mais avançada do que na época da gravação dos primeiros filmes do Super-Homem, na década de 1970 e 1980, ele conta que precisava imaginar, enquanto atuava, os efeitos computadorizados -inovadores na época.

"Nós estávamos fazendo coisas que ninguém nunca tinha feito então eu não sabia o que fazer como na cena que olhava através do armário [por exemplo]. Eu só olhei para o armário e imaginei que estava vendo através dele [...] Era como o olhar de calor, ninguém sabia direito como fazer. Depois, precisamos achar um trejeito, em cena, para diferenciar um do outro. O olhar de calor era mais como 'eu vou matar você' e o de raio-x era mais de curiosidade."

Hoje, com a tecnologia mais avançada não só nos efeitos gráficos, ele diz que também está se acostumando com as redes sociais.

"Quando começamos a gravar não tinha nem celular e não tinha toda essa pressão das mídias sociais. [...] Eu só leio os comentários bons. Não é fácil acompanhar tudo o que sai, ler tudo, mandar resposta, mas eu amo meus fãs", completou.Com informações da Folhapress/Foto:Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deste blog estão sujeitos a moderação e não serão publicados: comentário com ofensa pessoal, racismo, bullying ou desrespeito a opinião dos outros e/ou ofensas a outros comentários.

Redes Sociais

Siga para ficar mais próximo do blog.

Recentes

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *