Nas Redes

Venda de armas aumentou no mundo,aponta relatório internacional da Sipri

O fluxo de armamentos em direção à Ásia, à Oceania e ao Oriente Médio aumentou nos últimos cinco anos, de acordo com relatório publicado nesta segunda-feira (20) pelo Instituto Internacional de Pesquisa pela Paz de Estocolmo (Sipri), na sigla em inglês). As informações são da Radio France Internationale.

Os cinco maiores exportadores de armas são os Estados Unidos (EUA), a Rússia, a China, a França e a Alemanha, que concentram, sozinhos, 74% do volume total de vendas de armas. As importações de armas pelos países da Ásia e da Oceania aumentaram 7,7%. O documento compara os períodos de 2007 a 2011 e de 2012 a 2016.
A Índia é o maior importador mundial de armas, com 13% do total. Um destaque é o Vietnã, que passou do 29° para o 10° lugar, com aumento de 202%. 

O relatório revela ainda que as transferências de armamento pesado entre 2012 e 2016 atingiram o maior volume desde o fim da Guerra Fria (disputa pela hegemonia mundial entre Estados Unidos e União Soviética entre os anos 40 e 90 do século 20).

No Oriente Médio, as importações de armas dobraram e aumentaram 86%, representando 29% do total mundial. Os países que mais adquiriram armamento na região foram a Árabia Saudita e o Catar, com aumento de 212% e 245%, respectivamente.

“Nos últimos cinco anos, a maior parte dos estados do Oriente Médio busca, com as importações da Europa e dos Estados Unidos, acelerar sua capacidade militar”, disse Pieter Wezeman, pesquisador principal do programa Armas e Despesas Militares, do Sipri. “Apesar da diminuição do preço do barril do petróleo, os países da região continuaram a encomendar mais armas do que em 2016. Eles consideram a medida um instrumento essencial para enfrentar conflitos e tensões regionais.”

EUA são o principal exportador-Os Estados Unidos continuam sendo o principal exportador, fornecendo armas para pelo menos 100 países em todo o mundo. A Rússia representa 23% das exportações mundiais, sendo que 70% do seu armamento vendido são destinados para a Índia, o Vietnã, a China e a Argélia.

A China exporta de 3,8% a 6,2%, a França e a Alemanha, 6% e 5,6%, respectivamente. Outro destaque do relatório é a diminuição da compra de armas em 19% pela Colômbia, possivelmente por conta do acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), e um aumento de 184% no México.Agência Brasil/Foto:Saab Group/Divulgação

farol marcas e patentes

Comentários

Os Comentários publicados, são de inteira responsabilidade de quem está comentando por perfil no facebook, não representa o autor nem o blog, isenta totalmente a opinião do autor deste Blog.

Instagram