Nas Redes

30 mil pessoas fazem Ato em defesa da Democracia e contra o golpe na sede da Globo em São Paulo


São Paulo – Transcorreu sem incidentes o protesto intitulado "Ato em defesa da democracia - A saída é pela esquerda", que teve início no Largo da Batata, em Pinheiros, região oeste da capital paulista, por volta das 18h e foi encerrado na sede da Rede Globo, onde 30 mil pessoas, segundo os organizadores – 17 mil pelos cálculos de policiais militares ouvidos pelo jornal Estado de S. Paulo –  bradaram palavras de ordem contra a emissora, acusada pelo movimento de "apoiar um golpe contra a democracia no país".


Por volta das 18h40, o grupo começou a marchar pela Avenida Faria Lima em direção à zona zul da capital paulista. Eles passaram pelas avenidas Juscelino Kubitschek e Engenheiro Luis Carlos Berrini. Às 20h45 os manifestantes entraram na Avenida Chucri Zaidan e chegaram em frente à sede da TV Globo. "Chegamos ao final da marcha no local que é o símbolo de um golpe que está sendo arquitetado no país", disse um dos organizadores do ato.


"Golpe nunca mais, eu tô nas ruas por direitos sociais" foi um dos gritos entoados no protesto. Os manifestantes também entoaram: "barrar a Direita no governo, no Congresso e nas ruas".

Milhares de pessoas foram protestar contra a Rede Globo em concentração no Largo da Batata, em Pinheiros na cidade de São Paulo
O presidente nacional do PT, Rui Falcão, que participa do protesto, destacou que "muita gente de vários setores sociais estão lutando contra o golpe". "O impeachment significa um retrocesso, a imposição de uma pauta neo-liberal, com a precarização do trabalho, arrocho. Não haverá estabilidade com impeachment", afirmou.


Falcão defendeu que o Supremo Tribunal Federal retire a suspensão da nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro da Casa Civil. "Lula é ficha limpa, portanto não há nenhuma razão para ele não ser ministro", disse o presidente do PT


O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, Guilherme Boulos, disse em discurso que o objetivo do protesto é "deter uma ameaça à democracia e às garantias constitucionais". "Importante dizer que não estamos aqui para defender governo algum", discursou.


A cartunista Laerte Coutinho, presente entre os manifestantes disse ao jornal Estado de S.Paulo que "a importância desse movimento é que as pessoas entendam que elas não estão sozinhas. Às vezes, nas redes sociais, quem pensa diferente pode achar que está sozinho. Não, agora, com essa manifestação quem está contra o golpe vai poder encontrar os seus iguais".


O deputado federal Ivan Valente (PSOL), afirmou: "Estamos aqui para defender os direitos dos trabalhadores e contra o ajuste fiscal. O processo de impeachment está sendo tocado por um delinquente que deveria estar preso: Eduardo Cunha".Com reportagens de Jornalistas Livres, Brasil 247 e Agência Brasil/Foto:Divulgação/Jornalistas Livres CC

farol marcas e patentes

Comentários

Os Comentários publicados, são de inteira responsabilidade de quem está comentando por perfil no facebook, não representa o autor nem o blog, isenta totalmente a opinião do autor deste Blog.

Instagram